segunda-feira, 6 de julho de 2015

Polícia desmonta banca de jogos de azar em Ibiá

Operação foi realizada no bairro Deolinda Mendes e cincos pessoas foram detidas.

A Polícia Militar realizou uma operação para desmontar uma banca de jogos de azar em Ibiá. A operação foi realizada no início da noite da última sexta-feira (3), após denúncias anônimas.

De acordo com os militares, o fato acontecia em uma residência na Rua 42 e segundo as denúncias, o local era bastante frequentado e os jogadores faziam altas apostas.

A operação foi bem sucedida e a polícia encontrou no local, uma mesa de jogos ocupada por quatro pessoas, que foram imediatamente detidas. O responsável pela residência, um senhor de 67 anos, chegou ao local no momento da operação e também foi detido. Ele disse em depoimento, que a residência era alugada e que a utilizava apenas para realizar os jogos.

A polícia ainda encontrou no local, baralhos, fichas de apostas e várias cédulas de dinheiro que totalizaram 794 reais. 

Os envolvidos, juntamente com os materiais apreendidos, foram levados para a Delegacia de Polícia Civil de Ibiá e estão à disposição da justiça.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Criança sofre abuso sexual em Ibiá

O acusado foi preso e está a disposição da justiça

Uma criança de apenas 9 anos de idade, foi molestada sexualmente por um homem, na manhã da última sexta-feira (19).

O crime aconteceu no Conjunto Habitacional João Ferreira no bairro São Dimas. De acordo com a Polícia Militar, o acusado aproveitou que a vítima se encontrava sozinha em casa e praticou o abuso. Segundo a PM, o acusado teria passado a mão nas partes íntimas da vítima.

O acusado foi detido e levado para Delegacia de Polícia Civil de Ibiá e responderá pelo crime de abuso sexual. Esse tipo de delito, praticado contra criança, adolescente e vulnerável é inafiançável, sob pena de 4 a 10 anos de prisão, que deverá ser cumprida em regime fechado. 

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Arrecadação de leilão causa polêmica em Ibiá


Diante do cenário preocupante vivido pela Santa Casa de Ibiá e pela APAE, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ibiá, sob a presidência de Christiane Paiva, idealizou e organizou, juntamente com a CDL, Lions Clube, Rotary Clube e com as Maçonarias Moral e Justiça, Montezuma e Acácia, um leilão com a finalidade de arrecadar recursos em benefício da Santa Casa e da APAE. 

O evento denominado de “Leilão do Bem”, foi realizado no dia 6 de dezembro do ano passado e como já era de se esperar, o povo de Ibiá abraçou a causa de forma surpreendente e o retorno foi estupendo, chegando a arrecadar cerca de 196 mil reais.

De acordo com o sindicato, ficou determinado em reuniões realizadas entre os organizadores, que o valor arrecadado seria dividido em partes iguais, entre a Santa Casa e APAE, sendo que a Santa Casa receberia sua parte em equipamentos médico-hospitalares e a APAE receberia sua parte em dinheiro.

A direção do hospital, após avaliar o quadro de equipamentos da entidade, decidiu que seriam adquiridos, uma mesa cirúrgica, um ventilador pulmonar, duas bombas de infusão volumétrica e um aparelho de anestesia. A lista dos equipamentos foi enviada ao sindicato, que se comprometeu em fazer a aquisição e repassá-los ao hospital.

A polêmica começou depois que o Jornal Alto Paranaíba (JAP), divulgou em sua edição de nº 146, uma matéria onde o vice-presidente da Associação dos Amigos da Santa Casa de Ibiá (AASCI), Edson Minohara, confirma que até o presente momento a Santa Casa não recebeu sua parte do benefício conforme foi combinado, ou seja, os equipamentos solicitados ainda não chegaram à Santa Casa e que a demora na entrega desses equipamentos pode causar riscos e prejuízos à saúde da população. Segundo Edson, a decisão de repassar a parte da arrecadação à Santa Casa em equipamentos foi única, exclusiva e de forma unilateral do sindicato, alegando que não efetuaria qualquer tipo de doação em dinheiro.

Usando as redes sociais, o Presidente da CDL de Ibiá, Flavio Paiva, um dos organizadores do evento, rebateu a AASCI, dizendo que a decisão foi de comum acordo entre as partes: “A decisão da forma de partilha do numerário arrecadado no "Leilão do Bem" não foi uma decisão única e exclusiva do Sindicato dos Produtores Rurais de Ibiá, foi sim, uma decisão de todos os membros da comissão organizadora do evento, da qual participaram CDL, Lions, Rotary, Maçonarias Moral e Justiça, Montezuma e Acácia”, publicou em sua página.

Em entrevista a uma emissora de rádio local, a presidente do sindicato, Christiane Paiva, também se manifestou a respeito do assunto. Segundo a presidente, os cinco equipamentos solicitados pela Santa Casa já foram adquiridos, sendo que quatro deles já se encontram na sede do sindicato, e o aparelho de anestesia, por se tratar de produto importado, está na alfândega brasileira em processo de desembaraço aduaneiro o qual também aguarda a liberação da ANVISA. Ainda de acordo com Christiane, ficou definido nas reuniões, que os cinco equipamentos seriam entregues juntos, após elaboração de um contrato de comodato entre a AASCI e o sindicato, o que assegurará que os equipamentos não sejam penhorados em caso de uma possível cobrança judicial, já que a Santa Casa contraiu uma enorme dívida. Segundo Christiane, foi exatamente as condições financeiras da Santa Casa que levou a todos os organizadores do evento, a decidirem repassar a parte da entidade em equipamentos, reconhecendo que essa seria a forma mais segura e vantajosa para a população.

Mesmo depois de passar por essa situação desconfortável que acabou virando polêmica e criando um mal estar entre a AASCI e o sindicato, Flavio Paiva garantiu para toda a população que no final deste ano o Leilão do Bem estará de volta, e quer arrecadar o dobro que arrecadou no ano passado.

domingo, 14 de junho de 2015

Usina Planalto em Ibiá vai a leilão por 45% do valor de avaliação

Ativos foram avaliados em R$ 56,9 milhões e incluem benfeitorias, equipamentos, máquinas, prédios e propriedade rural de 1.271 hectares; lance inicial do leilão é de R$ 25 milhões

Em processo de recuperação judicial, a Usina de Açúcar e Álcool Carolo e outras leiloam, a partir do dia 24/06, sua unidade produtiva localizada em Ibiá. Vão a leilão a Usina Planalto e a fazenda Manchúria. A planta industrial conta com arrojada estrutura de produção composta por conjunto de moendas, caldeiras e destilaria para a produção de etanol. A capacidade nominal dos equipamentos é de produção de 300 m3/dia de combustível, com armazenamento de 15 milhões de litros. A venda foi determinada pela Juíza da 1ª Vara Cível da Comarca de Pontal/SP, Drª. Carolina Nunes Vieira.

O comprador fica isento de quaisquer ônus anteriores das propriedades, inclusive de natureza tributária, derivadas da legislação do trabalho e as decorrentes de acidente de trabalho.

A fazenda de 1.271 hectares conta com sede, galpão de máquinas, energia elétrica, pista de pouso, duas represas, 100 hectares de cultivo de eucalipto e 600 hectares de cultivo de cana-de-açúcar. A terra também vem sendo trabalhada há várias décadas com culturas diversas, como café, batata, soja e milho. O lance inicial é a partir de R$ 25 milhões, o equivalente a 45% do valor total das avaliações e os lances podem ser ofertados pelo site da Superbid Judicial (www.superbidjudicial.com.br).

O primeiro pregão online começa às 9h, do dia 24/06 e segue até as 14h do dia 26/06. Caso não ocorram ofertas, a segunda praça será aberta imediatamente após o término da primeira, sem interrupção ou alteração nos valores, com encerramento no dia 17/07, às 14h.

Também é possível efetuar lances presencialmente, em São Paulo e em Pontal, nas datas e horários de encerramento da primeira e da segunda praça. Participantes pela web e presenciais concorrem em igualdade de condições. Cópias do processo podem ser visualizadas no site www.blconsultoriarp.com.br.

A Usina Carolo entrou com pedido de recuperação judicial em janeiro de 2014. Em outubro, o plano de recuperação judicial foi aprovado pela maioria dos credores e, com anuência do Ministério Público, foi chancelado pelo Poder Judiciário. A Usina Planalto chegou, em sua melhor fase, a produzir 3,5 mil toneladas/dia e gerar 500 empregos diretos.