segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Idosa é estuprada na zona rural de Ibiá

Uma dona de casa, de 87 anos, sofreu um violento abuso sexual dentro da própria casa, nas proximidades do distrito de Argenita, zona rural de Ibiá.

O crime aconteceu no último sábado (22) e deixou perplexos, os moradores do povoado.

De acordo com informações apuradas pelo Ibiá em Foco, o suspeito chegou até a residência da vítima portando uma faca e um objeto pontiagudo de metal, usado como amolador. Chamando pelo nome de um dos filhos da vítima, o suspeito gritava e batia com violência no portão. 

A idosa percebeu que a pessoa que gritava o nome do filho não era seu conhecido e permaneceu em silêncio dentro da casa. Gritando e esmurrando o portão, o suspeito insistiu até que a vítima resolveu abrir a porta. A vítima, bastante assustada, disse que seu filho não se encontrava em casa no momento. Com o amolador direcionado para o pescoço da vítima, o suspeito disse que foi até lá para ter um relacionamento com ela.

Bastante irritado o suspeito ordenou que a vítima tirasse toda a roupa. Como ela se recusou, o suspeito a derrubou no chão e arrancou sua roupa.  A vítima ainda gritou o nome do filho, mas nada adiantou.

O suspeito manteve relações sexuais com a vítima por duas vezes e depois fugiu, dizendo que, se ela contasse a alguém, ele voltaria e mataria ela e o filho.

No domingo (23), a vítima chamou a polícia, que se fez presente no local e lavrou o Boletim de Ocorrências. De posse de todas as informações, prestadas pela vítima, os militares conseguiram localizar e prender o suspeito. Ele estava em casa e ainda de posse da faca e do amolador. Para os militares, ele negou todos os fatos.

O suspeito foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Ibiá, e ficará a disposição da justiça. Se for condenado, ele pode pegar de 6 a 12 anos de reclusão.

A vítima foi conduzida até a Santa Casa de Ibiá para realizações de exames e seu estado de saúde é estável.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Polícia prende suspeitos de matar Juninho Palla

O crime que chocou a cidade de Ibiá está muito próximo de ser desvendado.
A polícia prendeu no final da manhã desta sexta-feira (14), em Araxá, a dupla, Gabriel Henrique da Silva Martimiano e Lucas Alves dos Reis, ambos de 19 anos, suspeitos de serem os autores do assassinato de Wilton Gonçalves Júnior, conhecido como Juninho Palla, de 41 anos, que trabalhava e residia em Ibiá. O crime aconteceu no último sábado (8), nas proximidades de Araxá e foi praticado com requintes de crueldade.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Araxá, os dois suspeitos confessaram o crime e disseram que mataram porque estavam sendo ameaçados pela vítima.
RECONSTITUIÇÃO
Os dois suspeitos participaram, na tarde desta sexta-feira, de uma reconstituição do crime, e contaram detalhes de como mataram a vítima.
Os criminosos seguiram com Juninho, de um posto de combustíveis de Araxá, até uma estrada de terra. Usando um martelo, desferiram vários golpes na cabeça da vítima. Depois arrastaram o corpo para a beira da estrada e fugiram no veículo da vítima. Em seguida deixaram o carro da vítima abandonado em uma rotatória, próximo ao distrito industrial de Araxá.
O laudo do Instituto Médico Legal (IML), concluiu que Juninho morreu em decorrência de um traumatismo craniano.
Os jovens suspeitos vão ser indiciados por latrocínio, que é roubo seguido de morte, já que levaram alguns pertences da vítima.  
Para polícia, a questão de ameaças alegadas por um dos autores do crime, ainda precisa ser esclarecida.  
A operação policial, que terminou na prisão dos suspeitos, foi comandada pelo delegado da Polícia Civil de Araxá, Dr. Cezar Felipe Colombari e pelo delegado responsável pelas investigações Dr. Conrado Costa da Silva com participação do delegado de Ibiá, Dr. Vinícius Ramalho.
A justiça já determinou a prisão temporária dos suspeitos que foram encaminhados para Delegacia de Polícia Civil de Araxá.
A polícia espera concluir o inquérito até a próxima semana.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Laudo do IML confirma morte de Juninho Palla por traumatismo craniano


O laudo do Instituto Médico Legal (IML) confirmou que Wilton Gonçalves Júnior, conhecido como Juninho Palla, de 41 anos, morreu em virtude de um traumatismo craniano, provavelmente causado por pauladas. Conforme a coordenadoria do IML de Araxá, o corpo de Juninho não apresentava marcas de lesões provocadas por arma de fogo ou por arma branca.

O corpo de Juninho foi encontrado na última terça-feira (11), jogado ao lado de uma estrada de terra, a cerca de 2 quilômetros de Araxá. Juninho havia saído de sua residência, região central de Ibiá, na sexta-feira (7) e iria visitar sua mãe na cidade de Arcos, na região Centro-Oeste de Minas, e não deu mais notícias.

O documento do IML deverá ser encaminhado para a Polícia Civil de Ibiá, que investiga o caso juntamente com a Polícia Civil de Araxá.

A multinacional Nestlé Brasil, onde Juninho trabalhava como contador, divulgou uma nota onde informou que está oferecendo total apoio às autoridades competentes na investigação sobre o caso.

"A empresa tem fornecido toda a assistência necessária aos familiares do colaborador e continuará acompanhando atentamente as investigações sobre o caso", concluiu a nota. 
Homenagem feita para Juninho na cidade de Arcos


O sepultamento do corpo de Juninho aconteceu na manhã de ontem (12), em Arcos, sua cidade natal. Assim como em Ibiá, Juninho também era muito querido em Arcos. Um outdoor eletrônico instalado na cidade, o homenageou durante todo dia, com o seguinte dizer: “Descanse em paz! Nosso querido e eterno amigo! Juninho Palla”.

Leia mais sobre o caso

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Homem que estava desaparecido é encontrado morto perto de Araxá

Imagem: Willian Tardelli/Divulgação
A procura pelo paradeiro de Wilton Júnior, popularmente conhecido como Juninho Palla, de 41 anos, que estava desaparecido desde a última sexta-feira, dia 7, teve um desfecho trágico. Depois de 4 dias empenhados na busca por alguma pista que levasse a sua localização, amigos de Juninho tiveram a desagradável surpresa de encontra-lo sem vida. Seu corpo foi localizado na manhã desta terça-feira (11), jogado ao lado de uma estrada de terra, nas proximidades da cidade de Araxá, com sinais de violência e parcialmente carbonizado.

Juninho saiu de casa, região central de Ibiá, por volta das 7 horas da noite, da última sexta-feira, e tinha como destino a cidade de Arcos, onde sua família reside. Horas mais tarde, já na madrugada de sábado, seu carro foi localizado próximo do Distrito Industrial de Araxá, com várias marcas de sangue.
Imagem: Acervo de amigos
Juninho era funcionário da fábrica Nestlé de Ibiá e muito querido na cidade. Membro de uma Maçonaria, ele estava sempre voltado para obras de caridades. Com o hábito de fazer cestas básicas para doação, gostava de ajudar as pessoas mais necessitadas. Entidades como APAE e NAVI (Núcleo de Apoio a Vida) também recebiam benefícios de Juninho.

A cidade de Ibiá está consternada com tamanha brutalidade e espera ação rápida da polícia para solucionar o caso.

A polícia ainda não sabe os motivos do crime e pelas circunstâncias em que o corpo foi encontrado, tudo indica que foi uma execução. Outras hipóteses estão sendo levantadas e trabalhadas por investigadores da Polícia Civil. A perícia técnica da Polícia Civil de Araxá, juntamente com o delegado de Ibiá, Dr. Vinícius Ramalho, acompanhado de policiais militares, esteve no local onde realizaram os primeiros trabalhos. O corpo da vítima foi removido para o I.M.L (Instituto Médico Legal) de Araxá, onde será necropsiado e em seguida liberado para família realizar o sepultamento, que irá acontecer em Arcos, sua cidade natal.

Por meio de nota oficial, destinada a imprensa, a Nestlé Brasil informou que está oferecendo total apoio às autoridades competentes na investigação sobre o caso. 
"A empresa tem fornecido toda a assistência necessária aos familiares do colaborador e continuará acompanhando atentamente as investigações sobre o caso", informou a nota.

INSEPARÁVEIS

Juninho, por ser uma pessoa com enormes facilidades de convivência, tinha uma grande legião de amigos em Ibiá. Como gostava de participar de obras de caridade na sociedade ibiaense, cativou o coração de muitas pessoas. Desde seu desaparecimento um grupo de amigos, considerado por eles próprios, como inseparáveis, traçou uma meta, que era encontrar o amigo a qualquer custo. Foram quatro dias, vasculhando toda a região onde seu carro foi encontrado. Os obstáculos eram enfrentados com muita coragem e determinação. Foi assim até no final da manhã desta triste terça-feira. Não era a cena que gostariam de presenciar, mas o destino escolheu assim. Os amigos inseparáveis de Juninho, mostrou que amizade verdadeira tem valores nobres e apreciáveis.

“Aos familiares e amigos de Juninho, receba nossos mais profundos sentimentos e rogamos a Deus que conforte a todos, dando-lhes o discernimento necessário para suportar tamanha perda." Equipe Ibiá em Foco